Netsaber » Biografias

Akira Kurosawa

(Diretor de cinema japonês)
23-3-1910, Tóquio
6-9-1998, Tóquio


Kurosawa destacou-se como cineasta, em 1950, com Rashomon, a primeira presença japonesa no Festival de Cinema de Cannes. No filme, um crime cometido por pessoas que o espectador nunca vê é apresentado a um juiz. Seus filmes Os Sete Samurais (1953) e Yojimbo, o Guarda-Costas (1960) foram transformados em westerns por diretores ocidentais. Kurosawa adaptou para o cinema obras de Shakespeare e Máximo Gorki. Em 1975, conquistou o Oscar de melhor filme estrangeiro com Dersu Uzala. Em 1980, Kagemusha ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes. Sua filmografia inclui Ran (1985), Sonhos (1989) e Rapsódia em Agosto (1991).

Biografias Relacionadas


- Robert Altman

Antes de vencer o Palma de Ouro do Festival de Cinema de Cannes em 1969 com M.A.S.H., uma sátira sobre a Guerra do Vietnã, Altman tinha realizado documentários e séries de televisão, entre as quais alguns episódios de Bonanza. Seus filmes, centrados na...

- Glauber Rocha

Em maio de 1964, Deus e o Diabo na Terra do Sol concorre à Palma de Ouro no XVII Festival do Filme, em Cannes, perdendo para uma comédia musical francesa. Recebe, contudo, o Prêmio da Crítica Mexicana, no Festival Internacional de Acapulco, México; o...

- Manoel De Oliveira

Estreou no cinema como figurante no filme Fátima Milagrosa (1929) e como diretor no documentário Douro, Faina Fluvial (1931). Como ator, participou no filme A Canção de Lisboa (1934). Aniki-Bobó (1942), o seu primeiro longa-metragem, é uma das obras mais...

- Yoshitaro Nomura

Cineasta japonês nascido em Asakusa, Tóquio, um dos mais prolíficos e celebrados diretores de cinema do pós-guerra, diretor do aclamado filme de suspense Castelo de Areia (1974). Filho do diretor Hotei Nomura, sócio do maior estúdio japonês, o Shochiku,...

- Michelangelo Antonioni

Antonioni iniciou a carreira como assistente do diretor Marcel Carné. Nos anos 1960 os seus filmes conheceram grande êxito: A Noite ganhou em 1961 o Urso de Ouro do Festival de Berlim, e Blow-Up – Depois Daquele Beijo (primeiro longa-metragem em língua...