BUSCA

Links Patrocinados



Buscar por Autor
   A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


Resumo:memórias Póstumas De Brás Cubas
(Machado de Assis)

Publicidade
               
         Resumo da Obra
                  
                 Memórias póstumas de Brás Cubas
                 
                 Escrita após sua morte por um narrador- personagem, Brás Cubas,esta memórias póstumas...constituem um grandioso romance,de leitura difícil mais profundamente enriquecedora.O fato de Brás Cubas colocar-se como um ´´defunto autor``,isto é,como alguém que conta sua vida de além-túmulo,dá-nos a impressão,de que este relato seria caracterizado pela isenção,pela imparcialidade de quem já não tem necessidade de mentir,pois deixou o mundo e todas as suas ilusões.Entretanto ,esta é uma das famosas armadilhas machadianas contra a credulidade do leitor ingênuo e romântico da sua época.
                 No capítulo XI do ramance - O menino é o pai do homem - Brás Cubas relata sua infância:´´cresci naturalmente,como crescem as magnólias e os gatos``.No entanto, o próprio narrador-personagem nega tal naturalidade,numa das típicas ironias machadianas:´´Talvez os gatos são menos matreiros e, com certeza,as magnólias são menos inquietas do que eu era na minha infância``.
                  De acordo com a malícia que sugere a respeito de si próprio,Brás Cubas foi um menino matreiro,merecedor do apelido de ´´menino-diabo`` que lhe fora dado:maltratava os escravos,mentia,escondia os chapéus das visitas,colocava rabo de papel em pessoas graves,puxava cabelos,dava beliscões,enfim,possuía temperamento maligno,contando invariavelmente com a cumplícidade do pai,que o superprotegia,e com a fraqueza da mãe,sempre omissa em relação a ele.....
                   Crescendo neste contexto familiar que o favorece e justifica-lhe as traquinagens,tranforma-se num adulto egocêntrico,mentiroso,cínico,entediado e petulante,atribuindo-se uma importância indevida,para assim disfarçar a sequência de fracassos a que, de fato, sua vida se reduziu.
                   Na juventude,envolve-se com Marcela,uma cortesã espanhola que o ama´´durante quinze meses e onze contos de réis``.O pai,assustado com os gastos do filho,manda-o á Europa para estudos aos quais pouco se dedica.Ao retornar,almeja casar-se com Virgília,num negócio também arranjado pelo pai,que pretende torna-lo deputado.Ambos os projetos falham:Brás Cubas perde a noiva e o cargo para Lobo Neves.Mais tarde,almejando ser ministro,o que consegue é o amor adúltero de Virgília e o cargo de deputado.
                   Nha Loló(Eulália),outra possibilidade de casamento,agora arranjada pela irmã,que morre vitimada por uma epidemia.Quincas Borba,um colega de infância que se diz filósofo,visita-o rouba-lhe o relógio e desaparece,para retornar tempos depois,enriquecido graças a uma herança.Devolve-lhe então o relógio,conta-lhe sobre o Humanitismo,teoria filosófica que inventa,e mais tarde enlouquece.
                   Inventar um emplastro contra a hiponcondria - a seu ver um remédio miraculoso que curaria os males da humanidade - constitui a última tentativa de Brás Cubas,o seu último projeto,sem sucesso como todos os outros.O que impede de realiza-lo é a morte,causada pela pneumonia que, ironicamente,contrai ao sair de casa,a fim de patentar o invento... 




Passei.com.br | Portal da Programação | Biografias

FACEBOOK


PUBLICIDADE




encyclopedia